Mealheiro #53: 26 semanas, 1/2 desafio

Quem na despesa é frugal, logo aumenta o capital

Se já me segues há algum tempo, deves ter visto o meu artigo em que falei sobre o desafio das 52 semanas. Se não viste, então podes dar uma vista de olhos aqui.


Como começou

No início do ano decidi lançar-vos um desafio. E, como ditam as regras, não faria sentido se não me desafiasse também. Assim sendo, trago-te aqui uma atualização do mesmo, visto que recentemente ultrapassei a marca das 26 semanas.

O objetivo era simples: começar com 1 € de poupança, e continuar a incrementar esse valor a cada semana. 2 € na segunda semana, 3 € na terceira, etc… Até aqui tudo bem, bastante simples. Contudo, eu queria fazer algo mais, mudar um pouco as regras. Então decidi investir cada montante, ao invés de só “pôr de lado”.

Para isso usei o Revolut. Este neobank permite fazer compras fracionadas de ações, diretamente através da aplicação e sem grandes complicações. Além disso, criei um lembrete semanal, ao domingo, para nunca me esquecer, e usei uma folha de cálculo (que podes encontrar no artigo original) para atualizar a cada semana e não perder rasto de onde ia.

Quantos aos investimentos que fiz, admito que não segui nenhuma regra específica. Decidi experimentar com diferentes ações de empresas que gosto, e outras que conheço menos bem. Não tinha, nem tenho, nenhuma estratégia específica. Também não vou publicar aqui quais os investimentos específicos que fiz, porque não pretendo de nenhuma forma incentivar à compra, por passa palavra, desta ação ou daquela - lembra-te sempre que deves investir naquilo que conheces e no que te deixa confortável.

Como está a correr

Resumidamente? Bastante bem. Ao final de 26 semanas, e caso não tivesse feito mais nada, já teria poupado 351 €. Contudo, visto que investi estes valores, tenho neste momento… drumroll

400 €!

Eu sei que isto pode não parecer muito, mas a verdade é que este valor final representa um crescimento de 14% do valor inicial investido. Se eu tivesse deixado isto no banco, ou debaixo do colchão, teria ainda o mesmo dinheiro. São cerca de 50 € pelos quais eu não tive de fazer nada. Simplesmente investi, e deixei o dinheiro trabalhar por mim. E se isto não é impressionante, então não sei o que será.

Contudo, nem tudo é um mar de rosas. Investimento em ações é considerado um investimento de risco, e eu podia estar, neste momento, a perder dinheiro. Visto que o meu objetivo com esta partilha não é influenciar-te, mas sim pôr-te a pensar, vou esmiuçar este resultado:

  • Vamos a meio de um ano caraterizado por um bull market que parece não acabar. A não ser que eu tivesse feito uma verdadeira asneira com as minhas decisões, a probabilidade de eu ter perdido dinheiro era muito baixa;

  • Nesta análise não tive em consideração as taxas cobradas pelo Revolut, nem a taxa de câmbio de USD para EUR, nem mesmo os impostos que terei que pagar sobre estas mais-valias no futuro. Ou seja, os 14% que falo acima são brutos, e o valor líquido é mais baixo que 400 €;

  • Esta abordagem de investimento “aos poucos”, também conhecida por dollar-cost-averaging, ajuda a diluir ganhos e perdas ao longo do tempo, ao contrário da abordagem oposta, a chamada lump sum - algo que irei abordar aqui no Mealheiro um dia destes;

  • No meio disto tudo, investi em mais de uma dezenas de empresas diferentes. E claro que houve algumas que se deram muito bem, mas também outras que nem tanto. Caso tivesse trocado um pouco as voltas à ordem dos investimentos, a coisa talvez tivesse corrido bem pior;

  • Investir em ações individuais é contraproducente. Ou sabes muito bem o que estás a fazer, ou então o melhor mesmo é apostares em investimentos mais buy and forget, como, por exemplo, ETFs. Caso eu tivesse investido estes mesmos valores num ETF de ações mundiais, teria certamente mais dinheiro agora.

Concluindo: ter o dinheiro mal parado não te ajuda. Há formas de colocares o teu dinheiro a trabalhar para ti, e devias pensar seriamente nisso se ainda não o fazes. Hoje mostrei-te uma forma de o fazeres.

Só te peço é que não cometas o erro de ir atrás do que vês aqui, só porque hoje te mostrei resultados positivos. Nem sempre é assim, e há riscos que eu não abordei. Antes de mais, informa-te. Aprende. O que não falta é conteúdo pela Internet fora que te pode ajudar.

Acima de tudo, não deixes a inércia e o medo do desconhecido controlarem o teu futuro financeiro.

Estarei de volta no início do próximo ano com o resultado desta experiência. A ver como corre 🙃


A tua opinião ajuda-me a melhorar, por isso diz-me o que achaste! E, se quiseres, deixa também a tua aposta. Achas que vou ter mais, ou menos, dinheiro no final do desafio? 😃

Adorei | Gostei | 50/50 | Meh | Péssimo

É um prazer ter-te desse lado, e obrigado por leres. Conheces alguém que poderia beneficar com este artigo?

Partilhar

E, caso ainda não o tenhas feito, não te esqueças de subscrever. Obrigado.

A post shared by @mealheiro.pt