Mealheiro #27: ETFs? Que é isso?

Março, marçagão, de manhã Inverno, à tarde Verão

Os ETFs, ou exchange traded funds, estão entre os melhores produtos financeiros criados para investidores individuais.

A definição oficial da CMVM é a seguinte:

Fundo de investimento aberto admitido à negociação em bolsa de valores e que visa obter um desempenho dependente do comportamento de um determinado indicador de referência (seja este um índice, um ativo ou uma estratégia de investimento). Note-se que o desempenho deste fundo apenas em determinados contextos, e em certos horizontes temporais, é idêntica à do indicador de referência. Donde, o investimento num ETF não garante o mesmo desempenho do indicador de referência.

Isto é muita treta que não faz sentido, eu sei. Mas basicamente o que está a ser dito é que este tipo de produtos são em muito similares a fundos de investimentos comuns (como, por exemplo, os PPRs que nós conhecemos por cá), contudo são negociados em bolsa como ações, ou outros produtos do género.


Mas porque é que são os ETFs interessantes?

Cotados em bolsa

O facto de serem cotados em bolsa torna-os facilmente acessíveis e altamente líquidos. Isto aumenta a sua atratividade para investidores individuais. Liquidez é uma característica muito importante!

Replicação de índices

Os ETFs, na sua maioria, são criados para replicar algum tipo de índice (ou ativo, ou estratégia), como, por exemplo, o S&P 500. Contudo, há ETFs para todos os gostos. Também há ETFs que replicam índices de Commodities, por exemplo.

Diversificação

Estes produtos são ótimos para alguém que pretende ter um portfólio diversificado, sem ter o trabalho de ter que analisar e comprar produtos financeiros específicos. Ou seja, torna-se mais fácil ter um investimento diversificado.

Custos baixos

Para além disso, e comparando com fundos de investimento comuns, os ETFs têm, normalmente, custos de manutenção bastante mais baixos - não existe overhead de gestão ativa e/ou custos com publicidade, entre outros.

Longo prazo

Visto que ETFs tentam replicar os retornos do mercado como um todo, e visto que o mercado, tendencialmente, terá retornos positivos numa janela temporal alargada, estes produtos são também uma boa forma de investir a longo prazo.


Os ETFs são indicados para mim?

Aqui, infelizmente, já não te posso ajudar. Não sou analista financeiro, e não te posso aconselhar neste aspeto. Para juntar a isso, nada do que digo aqui deve ser considerado aconselhamento financeiro. O melhor conselho que te posso dar é que tentes aprender ao máximo sobre este assunto, e daí tires as tuas próprias conclusões. Tens aqui umas ideias para começares, se quiseres. Educação é a tua melhor ferramenta!

Para além de perceberes como funcionam estes produtos, e no contexto específico de Portugal, há algo que também deves analisar: o benefício, em termos fiscais, de ter um ETF ou um PPR (ou até um fundo de investimento comum). As mais-valias dos ETFs são tributadas ao regime normal de 28%, contudo os PPRs têm benefícios fiscais - tanto na entrada, como na saída. Deixo-te aqui algo para leres que explica melhor do que falo.


E é isto. Bons estudos, e bons investimentos se já for esse o caso 😃 E não te esqueças de subscrever se ainda não o fizeste!