Mealheiro #50: Como negociar o salário

Amigos, amigos, negócios à parte

Quando te fazem uma proposta de emprego, ou até quando discutes o pacote salarial durante uma entrevista, o mais normal é que essa oferta se alinhe mais com as expectativas da empresa do que com as tuas. Caso não aches que a proposta se alinha com a tua educação, experiência e capacidades, podes sempre optar por negociar a mesma.

Saber negociar uma oferta de salário pode ser altamente valioso, mas difícil, e pode-te ajudar a que tenhas uma remuneração justa e de acordo com as tuas expectativas - para além de que te pode ajudar muito no teu caminho para melhorares a tua situação financeira. Isto aplica-se tanto a estudantes que vão entrar agora no mercado de trabalho, como a trabalhadores experientes que estão a pensar mudar de emprego, ou que querem simplesmente crescer na empresa em que se encontram.

Contudo, como qualquer outra coisa na vida, é preciso alguma preparação para poderes ir para uma negociação com todos os trunfos na mão, e aumentes as tuas hipóteses de obter o resultado que pretendes. Hoje, vamos falar sobre como podes fazer isso mesmo.

Começa pela pesquisa

Analisa o salário médio

Começa por perceber qual é a expectativa salarial da posição para a qual te estás a candidatar. Tenta ter em conta anos de experiência necessários, possivelmente o nível de estudos, qual a posição na empresa (júnior, sénior, ou outro), as competências necessárias para mesma, entre outras coisas.

Platafromas como Glassdoor, LinkedIn, Meusalario, Pordata, LandingJobs, e muitas outras que encontras com uma pesquisa rápida no Google, podem-te ajudar a perceber o panorama a nível nacional, mas também entender como é que a posição a que te estás a candidatar encaixa nisto tudo. Tenta encontrar o máximo de informação que conseguires, visto que isto só te irá ajudar.

Identifica tendências de mercado

Algo importante também é perceber se a posição para a qual te candidatas é bastante procurada ou não, e se isso poderá aumentar, ou diminuir, no futuro. Aqui aplica-se um pouco a ideia de procura/oferta. Se é uma posição com pouca procura ou oferta, poderá ser mais fácil negociar o salário. Claro que isto também está dependente de outros fatores mais difíceis de identificar como, por exemplo, o número de candidaturas.

Tem em conta os benefícios

É bastante comum olharmos só para o salário líquido que é oferecido, e pôr de parte os possíveis benefícios que uma empresa oferece. E, por vezes, estes benefícios podem compensar bastante um possível salário mais baixo. Coisas como carro próprio, mais férias, bónus variáveis, descontos para creches/escolas dos filhos, etc. Tudo isto deve pesar na tua contraproposta.

Recorre à tua rede de contactos

Se já trabalhas, tenho a certeza que conheces pessoas que trabalham na mesma área que tu e que te podem aconselhar sobre a posição, ou sobre a proposta. Se és estudante então recorre aos teus professores para tentar obter mais informação e ajuda. Mas, independentemente da tua situação, tenta sempre recorrer a outras pessoas. Uma opinião extra é sempre melhor do que nada.

Prepara os pontos que pretendes discutir

Define o valor que pretendes

Quando pensares que já pesquisaste tudo o que precisas, e que já tens toda a informação necessária, é altura então de definir qual será a tua contraproposta. Tendo em conta todos os dados que tens em mãos, tenta identificar qual é o valor que achas mais justo para ti. Este valor não precisa de ser fixo, pode ser uma gama de valores.

Este último ponto pode-te ajudar na negociação: podes (e deves) sempre começar por apresentar o valor mais alto, mas sabes que esse valor pode baixar até um determinado mínimo. Esta prática é bastante comum, e certamente a pessoa com que estiveres a falar já estará à espera de algo do género.

Mantém clara a razão, e a justificação

Se pensas que o valor que definiste como justo foi calculado de forma racional, e se tens a certeza que aquele valor faz sentido, então é importante que consigas justificar com clareza a razão do mesmo. Para isso, mantém claras as razões pelas quais escolheste determinado valor, e sê capaz de justificar as mesmas.

Prepara-te para perguntas difíceis

A última coisa que queres é que quando te comecem a fazer perguntas mais difíceis sobre o que estás a pedir, não consigas responder, ou comeces a enrolar as palavras e a perder o rumo da conversa.

Mostrares confianças no momento de discutir a proposta é importante. O meu conselho? Enumera algumas perguntas que tenhas quase a certeza que te poderão fazer, e pratica com alguém. Várias vezes. Até seres capaz de responder às mesmas sem pensar duas vezes.

Apresenta a tua contraproposta

Confiança acima de tudo

Se fizeste a tua pesquisa, se achas que o valor que tens em mente é justo, e se acreditas que consegues justificar tudo sem problema, então não há razão nenhuma para ires para a negociação com medo. É normal que haja alguma ansiedade, e até nervosismo, mas não deixes que isso controle a tua atitude.

Não te esqueças de manter o otimismo

Lembra-te que ambas as partes investiram tempo para chegar a este momento. Tu na preparação para as entrevistas, a empresa nos recursos para te entrevistar. Não terias chegado à fase de oferta se não houvesse interessa da empresa para te contratar.

Sê flexível

Durante a negociação do salário, vai haver recuos e avanços. Tu vais dizer que sim, eles que não, ou vice-versa. E é normal. Mas é importante que também saibas ser flexível até certo ponto. Daí eu ter dito acima que teres uma gama da valores que aches justos é importante. Além disso, também podes considerar ser flexível a nível de benefícios, por exemplo.

Faz perguntas

Vão-te fazer perguntas. Várias, muitas até, em certos casos. Mas isso não significa que te deixes levar, e deixes a outra parte controlar o caminho da discussão. Não há mal nenhum em contrapor algumas ideias, ou até mesmo questionar algumas coisas ditas pela pessoa com quem vais falar.

Uma nota final: no fim do dia, dependendo do quão precisas, ou não, do trabalho, lembra-te que podes sempre recusar a proposta e seguir por outro caminho.


Agora que já conheces os diferentes aspetos de como negociar uma proposta salarial, espero que pegues neste novo conhecimento e faças bom uso dele.

Boa sorte!


A tua opinião ajuda-me a melhorar, por isso diz-me o que achaste! E, se quiseres, deixa mais umas dicas sobre como negociar salários 😃

Adorei | Gostei | 50/50 | Meh | Péssimo

É um prazer ter-te desse lado, e obrigado por leres. Conheces alguém que poderia beneficar com este artigo?

Partilhar

E, caso ainda não o tenhas feito, não te esqueças de subscrever. Obrigado.