Mealheiro #24: Como ensinar às crianças sobre dinheiro

Filho de peixe sabe nadar

Eu acredito que a educação financeira deve começar desde cedo. Tanto em casa, como na escola. Gostaria de ver este tipo de assuntos a serem introduzidos mais transversalmente nos currículos escolares, e acho que é uma pena tal não acontecer.

Ensinarmos a alguém desde pequeno a importância do dinheiro e da boa gestão financeira seria um grande passo para que as crianças de hoje em dia se tornassem em adultos bem melhor preparados para o futuro. Em Portugal podemos, e devemos, conseguir fazer melhor.

Infelizmente, e de momento, isto é algo que não consigo controlar. Contudo, posso tentar ajudar aqueles que pretendem ensinar aos mais pequenos sobre dinheiro. Por isso, aqui vão 6 dicas para te ajudar com isso:

Nunca é demasiado cedo para aprender

Como é que se ensina educação financeira a uma criança de três anos? Esquece o mercado de ações e começa pelos clássicos: o dinheiro não cresce nas árvores! Podes explicar às crianças que gastar não é tão fácil quanto fazer tap com o cartão onde quer que se vá. É preciso trabalho para ganhar dinheiro, e há consequências quando se gasta sem pensar.

💸 Ensina o valor de poupar - mesmo que seja 1€

Assim que tiverem idade suficiente para entender, começa-lhes a ensinar o valor de poupar. Poupar até que seja só 1€, regularmente, compensa. Em vez de gastarem dinheiro em sumos e Bollycaos, ensina-os a pôr esse dinheiro de parte? Quiçá numa conta poupança? Hoje em dia até já existem bancos que oferecem serviços que te permitem seguir o que os teus filhos estão a fazer com o dinheiro deles! Podes usar isto para configurar depósitos automáticos para a mesada, ou para lhes pagar por tarefas que eles façam por casa, por exemplo. E eles podem ver quanto dinheiro estão a ganhar e a poupar.

➕ Sê um exemplo positivo

Os teus filhos vão adquirir alguns dos teus hábitos - os bons e os maus. Queres ser um@ herói/heroína? Inspira os teus filhos através de decisões financeiras inteligentes. Isto não significa que precisas de ser um investidor topo de gama, mas pelo menos mostra-lhes que sabes como “manter a tua casa em ordem”. Por exemplo, porque não começar por eliminar dívidas problemáticas que tenhas?

🛒 Separa necessidades de vontades

Uma lição difícil para as crianças: não podem ter tudo o que querem. Antes que eles possam gerir o seu dinheiro com responsabilidade, é preciso ensiná-los que há uma diferença significativa entre vontades e necessidades. Pede aos teus filhos que façam uma lista de 5 ou 10 coisas que gostariam de comprar. Depois, com eles, percorre cada item da lista, decide se é uma necessidade ou desejo e explica-lhes porquê.

📚 Aumenta o teu conhecimento

Não tens todas as respostas? Normal! Aprender faz parte do percurso, e é algo que nunca termina. Aprende a aprender. Não tenhas medo de continuar a aprender. Incentiva os teus filhos a fazer o mesmo. Esta dedicação e paixão pelo conhecimento são das melhoras ferramentas que lhes podes dar, e que lhes irão servir em todas as áreas da vida, incluindo as finanças.

🚀 Alimenta o seu espírito empreendedor

Encorajá-los a ver oportunidades de ganhar dinheiro vai ajudá-los no futuro. Qualquer ideia que eles tenham, por mais pequenas ou estranha, vai-lhes ensinar lições para o futuro como resolução de problemas, definição de metas ou até mesmo como vender coisas. Também podes considerar juntar algum dinheiro para os seus empreendimentos futuros. E, mais para a frente, dar-lhes acesso ao mesmo e deixá-los usar as lições que lhes ensinaste para multiplicar esse dinheiro.


Mais importante do que poupar pelos teus filhos é dar-lhes as ferramentas para no futuro serem capazes de tomar boas decisões. Como podes ver, há imensas formas de tentar ensinar os mais pequenos sobre dinheiro - e a eficácia de cada irá sempre depender do contexto familiar, social e económico em que se insere. Mas, no final do dia, a melhor forma de saber o que pode ou não resultar é, simplesmente, começar!


Se gostaste, não te esqueças de partilhar isto com amigos ou conhecidos. E se ainda não o fizeste, subscreve. Obrigado, e até à próxima 😉