Mealheiro #19: 50/30/20

Vida regrada, vida prolongada

Fazer orçamentos e gerir as tuas finanças pessoais andam de mãos dadas, mas isso não significa que precisa de ser complicado, nem que te tire demasiado tempo do dia. Na verdade, as melhores dicas sobre orçamento costumam ser surpreendentemente as mais simples.

A regra dos 50/30/20 é um método inteligente e direto de construir um orçamento mensal que te diz exatamente quanto investir nas tuas poupanças e custos de vida a cada mês. Com uma visão geral e clara do teu orçamento, podes facilmente evitar gastos excessivos e aumentar as tuas poupanças de forma consistente, tudo sem registar meticulosamente cada gasto que tens.

Qual é a regra dos 50/30/20?

A regra básica é dividir os teus rendimentos mensais líquidos em três categorias de gastos: 50% para necessidades, 30% para desejos e 20% para poupança ou dívidas. Ao manteres regularmente as tuas despesas equilibradas entre estas áreas de gastos, estarás mais consciente dos teus hábitos de consumo e vais evitar gastos excessivos. E com apenas três categorias para seguir, vais poupar tempo e andar menos stressad@ com a gestão do teu dinheiro. Seguir esta regra vai tornar a tua vida bastante mais fácil no teu caminho para atingires os teus objetivos financeiros.


As 3 categorias 50/30/20

Necessidades: 50%

50% do teu rendimento líquido deve cobrir os teus gastos mais necessários. As necessidades incluem: renda, contas de luz e gás, transporte, seguros, pagamentos mínimos de empréstimos, mercearia (essencial).

Desejos: 30%

30% do teu rendimento líquido pode ser usado desejos. Os desejos são definidos como despesas não essenciais - coisas nas quais escolhes gastar dinheiro, embora pudesses viver sem elas se precisasses. Estes incluem: jantar fora, comprar roupa, férias, ginásio, subscrições mensais (Netflix, HBO, Amazon Prime), mercearia (não essencial).

Poupanças: 20%

20% do teu rendimento líquido deve ser usado para atingires os teus objetivos de poupança ou para pagar dívidas. Embora tenha dito acima que dívidas são consideradas necessidades, qualquer pagamento extra que consigas fazer para pagar essas dívidas (e os juros futuros da mesma) podem, de certa forma, ser considerados como poupança.


Se não sabes muito bem se esta estratégia de poupança se aplica a ti, porque não começar por perceber quanto dinheiro terias que alocar a cada categoria dependendo do teu salário? Talvez isso te ajude a perceber melhor como usar a regra dos 50/30/20!

Calculadora 50/30/20


Se tens gostado de ler, era espetacular se pudesses partilhar isto com amigos ou conhecidos. Ou no Twitter, no Facebook, o que seja!

Share

Ah! E se ainda não o fizeste, não te esqueças de subscrever! Até à próxima 😉